quarta-feira, 29 de julho de 2020

Energia trifásica fortalece o agronegócio da região

Compartilhe:

A transformação de redes mono ou bifásicas em trifásicas tem recebido grande atenção por parte da Certel. Trata-se de um incentivo, aprovado em assembleia ordinária no ano passado, que custeia até 60% do valor do investimento, garantindo ao setor primário um abastecimento energético resolutivo e confiável. Desde março de 2019 até o momento, 29 projetos foram beneficiados, num montante de R$ 441 mil investidos, com redução de 57,51% nos custos dos respectivos associados envolvidos.

Um deles é Juarez Degasperi, 58 anos, de Tamanduá, Marques de Souza. Juntamente com a esposa Gládis, a filha Gabriela e o genro Tiago, Degasperi possui uma propriedade de 24 hectares onde desenvolve a bovinocultura leiteira. “Trabalhamos com gado de leite desde 1998. Hoje, temos um plantel de 32 vacas, das quais, 26 em lactação, com média diária de 21 litros produzidos por vaca”, sintetiza.

Com produção para a cooperativa Dália, de Encantado, seu Degasperi enaltece a dedicação necessária para atender às criteriosas normas de qualidade. “E a energia elétrica é muito importante para garantirmos o bom funcionamento da ordenha e, principalmente, o resfriamento ideal. Nesse sentido, somos muito gratos à Certel pela qualidade da energia distribuída e pelo atendimento ágil e cordial que sempre recebemos. A chegada da rede trifásica é fundamental para disponibilizarmos um alimento tão essencial como o leite. Além disso, minha filha e o genro, que representam a quarta geração da família à frente da propriedade, terão energia de sobra para gerenciar nossos negócios”, comemora.

Desde muito pequena, Gabriela, 26 anos, sempre recebeu o incentivo dos pais para compreender e se identificar com a produção rural. “Tanto o pai quanto a mãe sempre estimularam minha permanência na propriedade, e desenvolvi esse carinho e amor pelas vacas desde a infância. Então, fomos crescendo, conhecendo novas tecnologias e participando de cursos para desenvolver nossa produção. Entendo que não é um trabalho, mas um prazer, e é muito bom saber que temos a Certel do nosso lado”, enfatiza a jovem.

 

Compartilhe:

Deixe seu comentário